Livro 2

Resumo- 15 de Novembro (pág. 11-48)

Parte 1 – O Paralelo 59

Sheldon Horowitz é um ex-combatente de guerra norte-americano, um franco-atirador na guerra da Correia. Vivia em Nova Iorque até a morte da sua mulher Mabel, visto ser judeu deveria ter comprido o Shiva (deixar a comunidade cuidar dele, alimentá-lo e fazer-lhe companhia durante 7 dias), como manda a tradição, mas ao invés disso preferiu estar num salão de chá, onde mais tarde a neta o fora encontrar. Contando-me assim que estava grávida e convencendo-o a ir morar para Toyen em Oslo na Noruega, para junto dela e do marido Lars.

Saul, filho de Sheldon e Mabel, trabalhava na Força Ribeirinha da Marinha em 1973-74, no Vietname, depois desse tempo retornou a casa durante um mês para descansar para a sua próxima comissão, nesse tempo ele e sua namorada fizeram amor uma vez, chegando assim para a sua filha ser concebida. Rhea, foi este o nome dado por ele na última carta que enviou de Saigão, antes de ficar sem ambas as pernas na explosão de uma mina vietcongue, enquanto fazia o resgate de um piloto do qual o avião fora abatido. Saul não sobreviveu, esvaiu-se em sangue antes de chegar ao hospital.

Certa noite no apartamento em Toyen apos Rhea e Lars saírem, Sheldon ouvia barrulhos de uma discussão vindos do apartamento em cima do que se encontrara, não entenderia nada do que era dito, apenas sabia que era em uma língua balcânica, Sheldon ainda tentou bater na parede para fazer barrulho, mas os seus 80 não o permitiam fazer com que o ouvissem. Dado essa impossibilidade Sheldon decide ir dormir, acordando no dia seguinte com Lars a convidá-lo para tomar o pequeno-almoço. Durante o mesmo, Rhea insiste com o avô para fazerem um passeio todos juntos, pois ele e Lars tinham uma coisa para lhe contar, Sheldon teimoso tentou de tudo para não ir, disse inclusive à neta para ir para um chalé e fazerem amor em cima de um cobertor felpudo e para aproveitarem enquanto não tinhas filhos. Dado isto Rhea decidirá contar que tinha perdido o bebé, arrependendo-se no momento seguinte pois não tinha sido daquela forma que ela e Lars tinham combinado contar a Sheldon, fazendo assim com que ele ficasse transtornado.

Mais tarde sozinho em casa, inconformado por ter insistido com a neta para ela sair, ouviu novamente barrulho vindos dos vizinhos, mas desta vez não parecia apenas uma discussão e sim uma batalha, nisto ouve alguém a descer as escadas, parecia ser muito pesado ou tinha alguma coisa muito pesada consigo. Sheldon chegou a porta e olhou pelo oculo, viu que era uma mulher com os seus 30 anos a qual deu o nome de Vera que tinha consigo um menino que devia ter os seus 8/9 anos. Sheldon não entedia o porquê de eles não fugirem para fora do prédio, decidira ir ver a janela, reparando em um homem encostado a um carro a fumar à espera deles. Quando se apercebeu que quem estava no andar de cima já estava a caminho resolveu ajudá-los, abrigando-os enquanto quem se encontrava no seu apartamento não fosse embora. Já dentro de casa do Sheldon o menino mantinha uma expressão muito assustada, Sheldon ao ver isso resolveu abraçar o menino em forma de o proteger, enquanto isso o homem que os procurava ficou sem entender para onde fora, indo assim ter com o que se encontrava no exterior, tiveram uma discussão e acabaram por entrar no carro e ir embora. Seguidamente Sheldon tentava explicar a Vera que o melhor que ela tinha a fazer era ir à polícia contar o que se passou e depois levar o menino para tomar um batido, porem Vera e o menino não se mexeram. Enquanto Sheldon tentava falar com Vera, a mesma ouvira um barrulho de um carro e foi ver a janela, percebendo assim que os homens tinham voltado. Tomou então a decisão de pegar no menino e tentar puxar Vera também, mas sem sucesso, optou então por levar o menino e esperar que Vera o seguisse. Foi então que desceu as escadas em direção a porta das traseiras que ficava escondida, nesse tempo ouvia ruídos vindo da porta principal, numa tentativa de ser aberta até finalmente ser deitada ao chão, Vera por sua vez ao perceber isso meteu-se debaixo de uma cama, a reação do menino foi correr para junto da mãe, mas Sheldon não deixou. Ao entender que os homens se dirigiam para o sítio onde se encontravam, Vera tomou a decisão de proteger o filho e ir ao encontro dos mesmos, Sheldon por sua vez sem conseguir abrir a porta das traseiras, escondeu-se dentro de um armário junto com o menino, abraçando-o firmemente contra o seu peito tapando-lhe os ouvidos no momento em que se percebe que Vera está a ser asfixiada pelos homens.

Resumo- 23 de Novembro (pág. 49-88)

Sigrid Ødegård é polícia no Politidistrikt de Oslo há cerca de dezoito anos, decidiu juntar-se a polícia apos concluir os estudos em criminologia na universidade de Oslo. Agora com os seus quarenta anos feitos Sigrid fora promovida a inspetora-chefe, tudo graças a sua especialização em crime organizado. Peter Hansen, polícia no mesmo departamento de Sigrid, apresentou-lhe o caso de uma mulher asfixiada e seguidamente esfaqueada encontrada no apartamento de Lars Bjørnsson, mostrado de seguida uma coisa estranha que encontrara no mesmo, um pedaço de papel com uma frase em inglês sem qualquer sentido. Hansen e Ødegård dirigem-se para a sala número quatro, onde se encontram Rhea e Lars a sua espera para terem uma conversa sobre o que acontecera em sua casa e em relação ao desaparecimento de Sheldon. Rhea e Lars afirma conhecer a mulher em questão, dizem tratar-se da sua vizinha de cima que morava com o filho e que ultimamente discutia frequentemente com um homem muito violento, falavam ambos a mesma língua, a qual julgam ser de algum país de Leste da Europa. Durante a conversa que o casal teve com Ødegård, Hansen percebeu que nenhum ele era considerado suspeito, porem ainda estava uma coisa por perceber, o bilhete encontrado. Quando apresentado a Rhea houve a confirmação de que havia sido deixado por Sheldon, mas nem ela conseguia perceber o sentido do que o avô havia escrito. Mantendo se então a pergunta: Que significado tinha o bilhete deixado por Sheldon?

Sheldon consegue fugir com o menino pouco tempo antes de a polícia aparecer. Sentia remorsos, pois se ao invés de ter apenas acolhido Vera e menino tivesse chamado também a polícia podia ser que ela estivesse viva e conseguisse criar o filho. Para ele era como se tivesse sido ele mesmo a matá-la.

Quando a polícia chegou a apartamento Sheldon e o menino encontravam-se em um jardim rodeados de pessoas, foi aí que ele ofereceu um gelado a menino e se apresentou a ele, dizendo que podia chamá-lo de Donny (nome que lhe chamavam durante a guerra e também como era carinhosamente chamado pela mulher). Sheldon não obtivera qualquer reação por parte do menino, mas mesmo assim decidiu contar-lhe um bocadinho sobre o seu passado.

Por sua vez Rhea e Lars saem da polícia sem saberem o que fazer, pois Sheldon não tinha telemóvel por mais que eles tivessem insistido, mas acabaram de ceder ao pedido ele por o mesmo nunca saia de casa sozinho até aquele momento.

Sheldon decide levar o menino (agora chamado por ele de Paul) ao cinema, mas fazes questão de estar sempre a comparar as diferenças ali encontradas para o que estava habituado em Nova Iorque, durante o filme adormecera e acaba por sonhar como a sua antiga loja de relojoeiro e a loja de antiguidades do seu amigo Bill, lembrava-se de como Saul brinca em ambas as lojas e também de que anos mais tarde apos a morte de Saul pedira a Bill para guardar na sua loja as medalhas que tinha ganhado na guerra da Correia, pois não queria que Mabel nem Rhea as vissem, já se sentia culpado de mais por as ter mostrado a Saul e isso o ter incentivado a ir para a guerra do Vietname e nunca mais o ver. Durante o sonho falar com Bill sobre o que tinha acontecido naquela manhã com Paul, sendo questionado se o que tinha feito fora o correto, porem Sheldon como os seus oitenta e dois anos afirma que a vida é feita de escolhas e achava que tinha feito a mais sensata.

Quando o filme termina um trabalhador do cinema vai acordar Sheldon, este no que o filme acabou e não encontra o menino, questionado o trabalhador percebe que o Paul se encontra fora da sala.

Enquanto isso na polícia Peter vai até Sigrid contar os desenvolvimentos, tinham encontrado urina fresca dentro de um armário, sabia que não era da mulher morta pois não se encontrava com as calças molhadas então estavam a fazer as analises para compara se poderia ser do menino.

Sheldon tomou a decisão de ir passar a noite no Grand Hotel com Paul, mas não usado o seu verdadeiro nome para não ser encontrado, como tal depois de muita conversa convenceu a empregada do hotel que tinha sido assaltado e não tinha o passaporte deles, mas que mais tarde lhe enviariam uma cópia e ele lhe iria fornecer, convenceu-a também que ia fazer o pagamento em dinheiro que que precisava de umas roupas para o “neto”, pedindo-lhe para as comprar. Conseguido isto levou Paul para o quarto e deixou assistir Tom and Jerry então ele o descalçava.